domingo, 12 de julho de 2009

CASA DOS MIL OUTONOS

CASA DOS MIL OUTONOS
Faz mais de mil dias que você partiu
Mas não mil dias somente de chuva
Mas dias de sol
E de tardes bonitas também... também.
A chuva leva e a chuva traz
Lembranças boas e lembranças ruins
Além de levar as almas que precisam ser lavadas e renovadas.
E o seu sorriso faz falta
Sua grosseria e humor e ironia também.
E cada vez que você vem à mente
Me dá muito mais vontade de seguir em frente.
Mas eu já percebi que o dia em que chega o fim
Sempre chega mais lindo que os dias
Até o momento em que chega a chuva e tudo se vai,
Da mesma maneira que olhares turvos e pesados e cansados de sono
Acordem de uma vez
E, em momentos, tornem-se grandes, novamente cansados
Porém muito mais/tristemente/lamentavelmente vermelhos.
E é muito difícil olhar para sua foto emoldurada
E saber que você não vai aparecer:
E falar como somente você falava
E rir como só você ria.
Eu gostaria de saber como você reagiria
À todas as transformações e mudanças pelas quais o mundo passou,
Como o estado de terror ao qual estamos submetidos;
À guerra civil não declarada em nosso país;
Aos empregos prometidos que não foram criados;
À retaliação da Mãe-Natureza em resposta aos abusos cometidos contra Ela.
E atualmente eu já estive tão melancólico
Quanto você esteve.
Os meus dias eram e permanecem nublados
Apesar de todo o sol
E com toda a tristeza que as nuvens fechadas proporcionam
Mesmo com toda essa tristeza
Tenho alguns amigos meus (que também estão)
Tão melancólicos e estagnados quanto eu,
Pensando diariamente em puxar o fio da tomada,
Desligar os interruptores e baixar as cortinas
Entretanto temos nossos amigos e nossas amigas
Para nos convencerem a permanecer por aqui e continuar lutando,
Mesmo apesar de todas as crises, conflitos e guerras
Crianças e idosos mortos, assassinato, poluição e corrupção.
:: para Rosinaldo Costa Melo ::
:: em 2000, 2001, 2002 e 2003 – talvez 2004 e 2005 também ::
:: pois é, depois de toooooodo esse tempo, eu ainda não consegui escrever o final, mas acredito que mesmo depois de tudo que passei de uns anos pra cá, seria meio que irrelevante escrever alguma coisa pra terminar isso ::

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!