quinta-feira, 2 de julho de 2009

ESTRANHEZA

“Take my hand I’m a stranger in paradise
All lost in a wonderland
A stranger in paradise
My eyes are shining?
If I stand starry eyed there’s a danger in paradise
For mortals who stand beside an angel like you

I saw your face ascending
Out of the common place and into the rare
Now somewhere out in space I hang suspended
Until I'm certain that there’s a chance that you care

Won’t you answer this fervent prayer
Of a stranger in paradise?
Don't send me in dark despair
From all that I hunger for
But open your angel's arms
To this stranger in paradise
And tell him that he need be
A stranger no more”
– Sarah Brightman, “Stranger In Paradise”

Falando sério agora. Estranhos no Paraíso é uma das melhores revistas de Histórias em Quadrinhos que eu já li está década – e que me foi apresentada pelo amigo Ricardo Wallace Machado Ferreira. Graças ao Edjan (Silva Carvalho, que através deste eu conheci o Ricardo, viva o RPG!), eu consegui ler mais algumas edições. Eu comprei outras e baixei o resto neste link bem aqui.
Estranhos no Paraíso é escrita e desenhada por Terry Moore, e, junto com Bone e Hellboy, dos também estadunidenses Jeff Smith e Mike Mignola, é uma das melhores coisas da década de 1990, considerada a década perdida dos quadrinhos norte-americanos.
A obra conta a história de Katrina Choovanski, vulgo Katchoo, e Francine Peters, e suas paixões, aventuras e desventuras. As duas podiam ser suas vizinhas, suas colegas de escola, as mulheres que esperam o ônibus ao seu lado nas paradas da vida. Mulheres comuns, porem extraordinárias. Com vidas simples, porém extradórdinarias!
É incrível a forma que Moore estuda e trabalha em cima disso, e como isso nos põe em contato tão próximo a elas, permitindo uma intensa e inegável... identificação.
É como se fossem as histórias de nossas vidas, as descrições dos nossos sonhos e esperanças e medos mais intensos e que nos afligem com mais vigor. Se não nos virmos, vemos nossas amigas, irmãs, colegas e até as meninas que enxergamos mas não dirigimos uma palavra sequer a elas.
Leiam Estranhos... Deixem seus corações virem à tona.

Escrito ao som do (álbum) Leitmotiv, das holandesas do Bambix “Brand New Religion”, “Seclusion”, “Summersong”, “Monozygotic” e “Take Heart”.


Edjan, Ricardo, Thunderbird, Márcio Carvalho – essa é pra vocês!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!