sábado, 28 de agosto de 2010

POESIA [pr’uma] GERMÂNICA [2]

Este poema foi escrito praticamente no final de julho. Tava passando até o Divisão Criminal (aquele seriado com a Kyra Sedgwick e sua bocona vermelhona de batom) na SBT – ou seja, era muito tarde da noite! Foi escrito de uma só porrada!
Espero que Vanessa goste!


[poema sem título]
VOCÊ pode não acreditar, mas ainda penso em você
pode até não parecer, mas prefiro não demonstrar.
É tão gostoso recordar de sua voz e de seu sorriso
Ainda mais tarde da noite, vendo algum seriado na SBT.
Quando eu penso, penso se poderíamos dar certo
Ficar nessa situação me deixa meio que frustrado e angustiado
Por não podermos ser o que eu gostaria
Mas, sei lá, infelizmente, não podemos porque você não quer
E, por mais incrível que possa parecer, eu não vou forçar nada que você não queira.
Será? Crise de Consciência? Ataque de Bom-Senso?
Prefiro nem pensar mais
Ainda que imagino e sonho você me beijando enquanto estiver chovendo:
Suas mãos nas minhas e seu queixo em meu peito
E seus olhos grandes e arredondados e castanhos dentro dos meus.
Eu não vou com a cara das “suas leituras”
não me dou bem com “seus filmes”
[(Ainda) (não)] sei o que você ouve, mas pra (quase) tudo se dá jeito.
Podia ser, se você resolver me dar uma chance...
Não me permito ter esperança para, em conseguinte, não sofrer
mesmo que sonhe e idealize e imagine todo dia
E depois suspire profundamente por cair na real:
“Ela não está aqui.”
Primeira e Única e Última, Ama e Senhora e Rainha...
Deitados em um sofá ou em rede, dedos dos pés quase entralaçados,
Xícaras cheias de baganas e cinzas, garrafas secas.
“Hora de acordar... Que horas são? Hora de acordar...”
Mesmo sem pedir, você me explicou porque não daria certo
– Calma e educada, sorridente e desencanada –
Enterrando tudo o que existiu somente em suposições.
Hora de acordar sem saber que horas são
Ainda esta escuro e você não está:
“Você não está aqui.”
:: 30 de julho de 2010 ::
:: para Vanessa da Silva Paumgartten ::
:: inclui citação adaptada de “Cidade em Chamas”, do CPM22, do álbum Felicidade Instantânea, de 2005, letra e música do guitarrista Luciano ::

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!