sexta-feira, 29 de outubro de 2010

poema incompleto em língua alemã (escrito na hora da aula)

Depois de um bom tempo sem escrever, eis que aqui tem um texto novo, escrito (só pra variar) na hora da aula e com o uso de um dicionário!


[texto incompleto]
[sem título]

Se você não queria, porque me beijou?
Entregou seu coração, fazendo que eu entregasse o meu...
Poderia ter recusado minha proposta,
Ter dito “não, só mais hoje”.
Mas não.
Eu ficaria fudidamente triste, mas melhoraria logo...
Não teria sonhado acordado com você e dito o seu primeiro nome antes de dormir
E falar d’ocê pra todos os meus amigos...
E, eu continuarei acreditando que vamos dar certo
E que estaremos juntos novamente para sempre por um dia,
Vendo o rio correr em si e o céu escurecer
Sem prometer promessas que não podem ser cumpridas
Embora nos queiramos menos do que ontem e amanhã mais do que hoje
Promessas não cumpridas não provocam corações partidos...
E como eu me senti profundamente vazio quando me pedistes e falastes aquelas coisas;
Procurando as melhores palavras para te explicar o quanto és importante e especial a mim
Sem encontrá-las... Sem quais usar...
Como, como posso esquecer a noite já anoitecida e as lágrimas em seus olhos?
E então não lembrar mais de seus olhos tão castanhos e seus beijos de menina?
Daqui a pouco, choverá e a chuva não trar-me-á você
Mesmo se eu engolir minha raiva e desespero e frustração, você não voltar aos meus braços?

:: para Virgínia do Socorro Costa Cunha ::
:: escrito durante aula de Alemão Instrumental, professor Günther Karl Pressler ::
:: 29 de outubro de 2010 ::
:: tradução minha e revisão de Carol Wüst ::

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!