quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

DIENSTAG! [4]

Ouvindo: um show da Regina Spektor em Berlim, de 2006

Me perguntaram ontem à noite porque eu levei o total caralhation from hell em CPA4 e o que isto tem a ver com eu meio que estar estudando norueguês.
Toda a merda é basicamente à base de Lingüística básica. Apesar da língua norueguesa ter uma estrutura morfológica mais próxima à da língua alemã, sua sintaxe é próxima tanto à do brasileiro quanto a do inglês. E, bem, foi isso, essa segunda parte que fodeu comigo, ainda mais por causa das malditas Relativsätze. Tomara que Herr Jennerjahn passe outra prova pr’eu tentar conseguir um B, porque senão será um R’zão do tamanho do mundo.


E tem gente que, provavelmente, odiar-me-á pelo que direi agora.
Eu nunca me senti tão desmotivado pra fazer/estudar algo do que agora com a língua alemã. E, foda-se, eu tenho que admitir mesmo: a culpa não poderia ser de ninguém mais além de mim. É isso que dá ser vagabundo e ferradamente indisciplinado quanto a isso. Ou seja, fazer tudo ou a maioria das coisas às três porradas, achando que tá certo, patati-patatá e só-eu-tomo-no-cu-mode-on-turbo. Agora juntando tudo isso a ser intrangisente, arrogante, inconseqüente, prepotente e toda a puta que pariu negativa terminada em -nte, vocês já concluem a cagada em que tudo termina......
E, bom, caralho, acredito que tenha sido por isso que os professores da CEG (TALVEZ Herr Aleixo e Herr Arnegger sejam as exceções) não tenham mais paciência e/ou disposição para ler/revisar todas as merdas tamanho família que eu escrevo em alemão. Frau Steffen inclusa, acredito eu, sei lá. E, porra, eles – com exceção óbvia da Fabíola (por razões óbvias) e do Gadelha (eu nunca fui aluno dele e coisa e tal)são os meus heróis (sim, MESMO Frau Castelo Branco e a cagada qu’ela fez para comigo no meu trabalho de CG), sabe? E eu nunca vou dizer isso a eles e eles não vão saber disso a não ser que leiam este blog. Mas........ Eu nem sei mais o que pensar o que eles pensam sobre mim por eu ser um desastre ambulante a porra duma bomba prestes a explodir em cima de quem pisar em um do meu um caralhal de calos.
E [suspiro profundo] toda aula deste idioma, me dá uma vontade tamanho Planeta Marte em mandar tudo para o Arallu e desistir desta porra de idioma e estudar até passar em um Concurso Público qualquer e MANDAR TODO MUNDO DA FALEM COMEÇANDO PELO PESSOAL DE LÍNGUA ALEMÃ IR TOMAR BEM NO MEIO DO CU E SUMIR DA VIDA DE TODOS ELES!!!!! E eu não sei o que acontece. Algo no fundo do meu coração me diz que simplesmente não posso desistir, porque talvez seja o que todos eles querem. Porque, vamos combinar: eu, definitivamente, com minha lista de defeitos altamente condenáveis, não sou o cara mais tratável/sociável da face de Mãe Gaia.
E então eu não desisto, eu continuo escrevendo minhas merdas que ninguém vai querer ler se não estiver em português, ou nem isso inclusive além de mim, que meus professsores vão rir da minha cara porque, segundo eles (na minha opinião), eu vou falhar sempre e nunca estarei bom o bastante para nenhum deles.

“E se eu estiver errado?” Se todos eles estiverem DESESPERADOS para que eu demonstre com todas as teorias e teoremas e axiomas possíveis que eles estão completamente errados a meu respeito em relação a aprender/dominar este idioma? E, caso eu não consiga, eles fiquem fudidamente deprimidos/frustrados pelo resto da vida, dizendo a si mesmos: “esse corno filho duma puta tinha tanto potencial para aprender essa porra e eu não consegui fazê-lo chegar lá” e merdas similares?


E eu tenho uma coisa bem legal para vós dizer em relação a isso: todos vocês, um por um, podem ir [*content*supressed*], porque eu NÃO VOU DESISTIR! E vou morrer tentando, vocês querendo ou não.
Eu estudei no CEFET e NÓS NÃO DESISTIMOS!, aconteça o que acontecer. Nós comemos desistentes com café e farinha de tapioca no café da manhã, feijoada e farofa no almoço, caranguejo e açaí na sobremesa, café com tapioquinha no lanche da tarde, lasanha e torta salgada no jantar e centenário no jantar.
Eu estou triste e azedo e puto por causa disso, eu me deixo abater. Mas a não a ponto de não querer mais lutar.

Não sei mais o que pensar HOJE em relação a isso, mas tenho certeza de que estou bem mais aliviado do que quando comecei a digitar esta porra que talvez só faça sentido pra mim e pra mais ninguém (Palavras-Prateadas excluso obviamente).

Eu amo vocês, seus malditos – vocêm sabem disso. Ou nunca saberão a não ser que leiam isso, eu repito. E não é porque eu os amo impedir-me-á de ficar puto convosco. Eu fico puto comigo mesmo por todas as merdas que eu faço, porque não ficaria convosco, ainda mais quando fazem aquelas caras de “olha só que merda ele escreveu desta vez!”, que eu sei que fazem quando lêem o que escrevo em alemão?
E, caralho, é uma coisa tensa pra caralho amar as pessoas e odiá-las na mesma intensidade. Acho que deve ter sido por isso que ainda não peguei um fuzil Remington 7600 e meti uma bala na cabeça de cada um de vocês porque é isso que vocês merecem realmente, começando pela Reis e terminando pela Paumgartten.

E, por Gaia, é tudo por minha culpa. Por mais que eu odeie admtir: eu ser o responsável por vocês me tratarem assim. Mas vocês TINHAM que saber.



“What eles should I be?
All apologies”
– Nirvana, “All Apologies”, do álbum In Utero, de 1993

Não, obrigado.

Um comentário:

  1. Você fala tanto para eu atualizar meu blog,mas nem é capaz de chegar lá, né ?? rsrss

    ResponderExcluir

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!