quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

PANORAMA GERAL DA PORRA-LOUQUICE

Quando foi?
Herr Arnegger me disse que tenho e o que não me falta são ideias doidas e grandiosas e... megalomaníacas para meus trabalhos acadêmicos. É, ele não deixa de ter razão quanto a isso (maldito seja!, he, he, he).
Teve a Comunicação sobre o (Robert Erwin) Howard da SEMAL 2009, o de Literatura Pós-2ª Guerra Mundial na BRD, de PLG, os sobre Origem e Formação dos Povos Germânicos (danke immerzu, Aésine!) e Paganismo Germânico, de CG, o trabalho da SEMAL 2010 sobre Quadrinhos e Literatura e Ensino de Língua Inglesa (danke schön, Tail und Uslar!), e, por fim, os trabalhos de MSLA sobre o prefixo Ver- e sobre Morfologia. É, eu ainda continuo frustrado por Herr Pressler ter literalmente boicotado o meu sobre a Emily Dickinson em FTL (e eu ainda tenho/nutro dúvidas cruéis de que ele saiba quem seja não somente Frau Dickinson mas também gente como Snorri Sturluson – será mesmo?).
É. Poizé. Acabei de ter mais uma idéia muito da sua tensa agora que estava lendo o Curso de Literatura Inglesa, do Jorge Luis Borges (eu falei disso em). Não basta SOMENTE estudar inglês e alemão e estar traduzindo uma gramática do norueguês pro brasileiro. Tem que fazer alguma coisa ferradamente tensa sobre isso e apresentar na UFPA! Bom, acho que vai ser recusado, mas, vamos lá (sim, modéstia à parte, acho que será recusado mesmo. os caras recusaram minha comunicação sobre os Vikings [assunto a ser tratado mais à frente], ainda mais um sobre lingüística comparada de idiomas germânicos – ainda mais um que eles PROVAVELMENTE, com sérias ressalvas, nunca devem ouvido falar sobre).
Como Comunicação Oral: Apresentando o Norueguês como Intermédio e Ponto de Partida Entre e Para o Inglês e o Alemão. Doch, é tema pra uma gramática completa e não somente para uma Comunicação Oral. Então acho que o correto seria Apresentando o Norueguês como Intermédio Entre o Inglês e o Alemão ou Apresentando o Norueguês como Ponto de Partida Para o Inglês e o Alemão. MESMO ASSIM, continuaria sendo uma coisa TENSA PRA CARALHO, porque eu teria que estudar o norueguês a fundo para poder fazer esta ponte comparativa. Não somente eu, seja lá quem fosse que metesse a cara nessa empreitada junto comigo. [Aí, algum animal perguntar-me-á o que diabos logo o norueguês tem a ver logo com o inglês e com o alemão (uma vez, algum animal disse em uma roda de conversa na qual eu estava presente que todos os idiomas estranhos são parecidos – tenso! mais tenso ainda foi o fato da maioria dos presentes concordar com tal ímpar absurdo!). Os três idiomas em questão são “galhos” de uma árvore lingüística conhecida como germânico, que é “galho” de uma árvore conhecida como indo-europeu. O inglês tem semelhanças com o norueguês (e o dinamarquês também) devido às incursões vikings na Inglaterra lá entre o século IX e o século XII. O inglês tem semelhanças com o alemão devido o latim que foi levado “às ilhas” pelos romanos já estava “germanizado” (não estranhe Alemanha, em inglês se chamar Germany; basta lembrar da Germania, de Tácito, que falava sobre os povos germânicos). Quanto à semelhança do alemão com o norueguês, é devido à proximidade da Escandinávia com a Alemanha e a semelhança de dialetos, a diferença-chave foi que estes dialetos se desenvolveram de forma idiossincrática para se tornarem os idiomas que são hoje. A propósito, apesar do finlandês e do islandês também serem considerados idiomas germânicos, eles são, em essência, fino-urálicos].
Como Trabalho de Conclusão de Curso (agora a cobra fumou e bebeu todas!): Apresentar uma Ponte Comparativa entre o Norueguês e o Alemão. Eita, caralho!, agora eu viajei MUITO PESADO! Material do Alemão eu tenho. Do Norueguês, só duas gramáticas. Mas tem um consulado aqui e (espero sinceramente) que eles disponibilizem material de grátis para estudantes interessados no idioma. Aí, com todo respeito, eu ia olhar pra Herr Arnegger... depois pra Herr Jennerjahn... depois pra Herr Barroso... depois pra Frau Steffen (e olha que Herr Barroso seria o mais capacitado dos quatro). Depois eu ia pra uma loja de armas, comprar uma calibre .12 e somente duas balas. Ia colocar no cano, engatilhar, colocar na minha boca e depois puxar o gatilho. Resumindo: E-S-T-Á--F-O-D-A-!
Mas será que isso não poderia ser assunto mais qualificado/específico prʼum Mestrado e/ou mesmo um Doutorado? Pode ser, he, he, he. Mesmo que ninguém na UFPA me levasse a sério depois. “Olha só, tanto potencial e ele fez um trabalho sobre lingüística comparada entre o alemão e um idioma que ninguém fala fora daquele país. Qual o nome do idioma mesmo? ‛Tá legal, como se eu não conhecesse o pessoal da FALEM.
Hum. Ah, é. Eu tinha QUASE esquecido. EU NÃO ME IMPORTO COM O QUE ELES VÃO DIZER/PENSAR/FALAR SOBRE ISSO!!!! como se eu me importasse mesmo... Não são eles que vão ficar fudidos fazendo, sou sempre eu. Então......

Vamos ver no que essa porra vai dar. Deixa essa pira no meu pé melhorar um pouco mais que, assim que puder calçar sapatos, resolverei isso o quanto antes. Tomara que o pessoal vá com a minha cara lá no (Consulado) norueguês, porque eles não fizeram uma das mais alegres lá no alemão.......



Antes que eu me esqueça e pra terminar:
Teve a Semana Acadêmica de História da UFPA do ano passado. E, num Super Hit Combo, ainda teve o Encontro Paraense de Estudantes de História e mais um evento cujo nome não lembro. Até aí, tudo bem.
Eu falei pro Pëixë que não haviam aceitado meu trabalho sobre Vikings na SEMAL e perguntei se não aceitariam na Semana Acadêmica do curso dele – que é História. Ele disse que eu devia tentar. Eu tentei. E ainda inscrevi o meu sobre Paganismo Germânico já apresentado em CG. Resultado? Nenhum dos dois aceito. Só depois que fui ver o tema do evento. Era alguma coisa sobre novas perspectivas do ensino e pesquisa de História da Amazônia. Realmente, nada a ver (eu não disse que não fiquei puto).
Mas o que me deixou REALMENTE PUTO foi o fato deles dizerem que meus trabalhos não eram engajados socialmente e totalmente fora dos parâmetros do que eles estavam propondo como tema do evento. “Trabalhos engajados socialmente” as putas que pariram todos eles também. E o curso de HISTÓRIA fica onde? É um bando de filhos da puta mesmo. Não à toa que não levam esse pesoal (mais o pessoal de Ciências Sociais e, infelizmente, o de Letras [*aff mode on*]) a sério.


“FELIZ ANIVERSÁRIO!!!” e “MUITAS FARRAS NA VIDA!!!” para: ANA CAROLINA LUZ MESQUITA!!!!

Um comentário:

  1. Saudações russas, Rafael!

    E aí? Já faz tempo que não nos comunicamos, hein? =) Perdão pelo sumiço, a faculdade me ocupou muito mais do que imaginava. (pensei que ia ser vagal e dormir a tarde toda, argh!) Felizmente tô desfrutando de abençoadas férias...

    May the force be with you!
    Laís "Лаис" Corleone

    ResponderExcluir

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!