quinta-feira, 5 de maio de 2011

ACORDOU TARDE? CULPE O FOO FIGHTERS! [risos]

E aí que já vai dar meio-dia e eu estou em casa, uando deveria estar na aula de Herr Barroso.
E aí que hoje teve paralização dos buzão aqui em Ananindeua, mas eu poderia ter pego o comboio do inferno também conhecido como UFPA – Cidade Nova 6 pra ir pra uni mas acabou não dando porque eu CONSEGUI MESMO acordar às cinco da manhã. Só que com aquela velha e conhecida historinha de “só mais cinco minutinhos”, acabei acordando mesmo lá pelas dez e meia da matina – ou seja, perdi novamente aula de Frau Larissa. Mais uma e é game over pra mim nessa (isso se já não tiver sido). Que merda. Eu consigo me foder nessas sozinho! Bem, e ainda tem o Übergigafail de segunda-feira última, que nem rola ser comentado aqui. Pelo menos, metade do trabalho pr’apresentar amanhã já está feito e agora estou terminando a segunda. O problema é que sou um monstro pra ficar falando um monte de merda sem parar e tô tentando resumir ao máximo pra embromar o mínimo possível esta porra.
Quanto ao álbum do Foo que eu disse que ia escutar fazendo trabalho – Wasting Light? À primeira audição, achei ser bem irregular, comparado aos outros anteriores. Três guitarras, é? Álbum mais pesado da banda, é? Não foi isso que ouvi. Talvez as canções funcionem melhor ao vivo, porque elas andam meio que muito contidas no disco. Mas a grande vantagem – pelo menos pra mim – é que o álbum todo remete ao melhor de todos os anteriores. Mas, sei lá. Três guitarras.
Em 2000, quando o Iron Maiden soltou o Brave New World, foi uma porrada, tanto porque mostrava o que uma banda do porte do Maiden poderia MESMO fazer com três guitarristas, ainda mais sendo eles Adrian Smith, Janick Gers e Dave Murray. Aí, em 2002, o Bad Religion, marcando a volta do Brett Gurewitz à banda, lança o The Process of Belief, que é um daqueles petardos que é pra ouvir do começo ao fim, e considerando ainda a parede de guitarras motosserras que Mr. Brett faz com Brian Baker e Greg Hetson. Mas, no fim....... Talvez seja falta de costume da minha parte com este novo álbum do Foo. Talvez seja preciso eu dar a atenção necessária a ele. Não ouví-lo fazendo trabalho. Ouvi-lo como um fã de Foo Fighters e não depois de escutar um Pub Songs e mais um monte de bandas de horror punk.


Li e achei muito FODA!
Bem-vindo a Hoxford. História e arte de Ben Templesmith. Mais uma pérola inquestionável da IDW Comics, tal como A Floresta do Suicídio, Metal Gear Solid e Zumbis vs. Rôbos. Foi o Canção-da-Amargura que me indicou e me passou esta! Os piores criminosos dos Estados Unidos vão para uma prisão de segurança máxima em um lugar esquecido dentro do país, controlada por uma iniciativa privada. Lá, eles vão descobrir da pior maneira porque esta iniciativa privada controla esta instituição carcerária. Não dá pra parar enquanto a mini de quatro partes não terminar. Cuidado com seu estômago e com sua sanidade no processo. Aprovado e recomendado.



Deixa eu terminar de terminar meu trabalho. ‘Tá quase no fim e eu acho isso ótimo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!