segunda-feira, 23 de setembro de 2013

POEMAS PERDIDOS EM CADERNOS: SEM TÍTULO PARA A DANIELLE

Esse poema já ‘tava pronto mas, como peguei meu caderno hoje, resolvi postar logo. É pra uma guria que conheci no ENEH.
E, sim!, espero de verdade que ela goste!
(e acho que a Ina Becker vai ficar puta por ter usado uma frase dela, mas vai o agradecimento logo no final)

[sem título]
Um Minuto, um Pra Sempre
Um Pouco Tempo, um “Infinito Particular”
Pequeno momento pra sempre
E olho pra sua foto
E sinto o peso suas pernas sobre minhas coxas
Sim, e eu me sinto bem
E olha minha vontade de ouvir sua voz novamente.
Você pode não achar
Mas sua voz pra mim é música
E quando suas mãos nas minhas novamente?
E quando novamente nossos narizes juntos
E nossas bocas próximas?
Perto demais da entrega total
mais próximo ainda de um beijo que poderia mudar Tudo?
Tudo? O que é o Tudo e o que Mudaria?
Becker disse que beijos abrem as pernas e revelam a alma
Coração aberto? Alma desnuda?
Aberto onde e Onde começa?
Um país continental de distância mas sempre próximos
Ah! Novamente suas Palavras com Som, Cheiro e Sabor aos meus ouvidos...!
Ah! Flores no formato de suas Mãos ao alcance das minhas
E Versos no formato de seu Rosto e de seu Corpo próximos
aos meus...!
Quanto tempo até a Próxima Vez?
Haverá Próxima Vez? E, se houver, serei o Capitão do Barco do Bem-Querer
Rumo ao Seu e ao Seu Coração?
Então?
Outra vez...
Mais uma vez...
Em Tempo Real e não em um ENEH,
Mas em um Mundo (nosso?) (como / tal qual em um ENEH).
Rios cruzados uma vez entrelaçados
Cientes de si mesmos
“Existirá outra vez?” à mente pelo menos
uma vez por dia
(muitas vezes ao dia)...!
Mais uma vez “Infinito Particular” por um Período (bem) mais longo do que o inicial...!
Mais Pequenos-Momentos-Para-Sempre...
Quadros em pareces, Curtas-metragens
Roteiros e Crônicas confeccionados a quatro mãos.
Ah! Uma vez suas Pernas sobre minhas coxas...
Ah!
E, da próxima vez, onde quer que seja –
Seu Corpo sobre o meu, adormecido
(minhas mãos acariciando) Seus Cabelos cobrindo Seu Rosto
no meu peito.

Será?

:: para Danielle Maria de Brito ::
:: Universidade Federal do Pará, setembro de 2013 ::
:: „danke schön“: Tinara Rodrigues Becker ::

Um comentário:

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!