sábado, 11 de janeiro de 2014

“HEY, MÃE...!”

-->“Hey mãe!
Eu tenho uma guitarra elétrica
Durante muito tempo isso foi tudo
Que eu queria ter

Mas, hey mãe!
Alguma coisa ficou pra trás
Antigamente eu sabia exatamente o que fazer

Hey mãe!
Tem uns amigos tocando comigo
Eles são legais, além do mais
Não querem nem saber
Mas agora, lá fora
Todo o mundo é uma ilha
A milhas e milhas e milhas
De qualquer lugar

Nessa terra de gigantes
Eu sei, já ouvimos tudo isso antes
A juventude é uma banda
Numa propaganda de refrigerantes

As revistas, as revoltas, as conquistas da juventude
São heranças, são motivos
Pras mudanças de atitude
Os discos, as danças, os riscos
Da juventude
A cara limpa, a roupa suja, esperando que o tempo mude

Nessa terra de gigantes
Tudo isso já foi dito antes
A juventude é uma banda
Numa propaganda de refrigerantes

Hey mãe!
Já não esquento a cabeça.
Durante muito tempo
Isso foi só o que eu podia fazer
Mas, hey, mãe!
Por mais que a gente cresça
Há sempre coisas que a gente não pode entender

Por isso, mãe
Só me acorda quando o sol tiver se posto
Eu não quero ver meu rosto
Antes de anoitecer
Pois agora lá fora
O mundo todo é uma ilha
A milhas, e milhas, e milhas

Nessa terra de gigantes
Que trocam vidas por diamantes
A juventude é uma banda
Numa propaganda de refrigerantes

Nessa terra de gigantes
Que trocam vidas por diamantes
A juventude
é uma banda
numa propaganda de refrigerantes

Hey mãe.....”
– Engenheiros do Hawaii, “Terra de Gigantes”, do álbum A Revolta dos Dândis, 1987, letra e música de Humberto Gessinger
 
 

 
 
 
 
 


 

Desd’a hora que o Alexandre terminou de dar o upgrade na minha guitarra (vide fotos), eu não via a hora de chegar em casa (ainda tive que dar um chega a casa do Weiß_Ulf e do Alex, respectivamente) e testar a dita cuja. E ENFIM o investimento e a espera valeram a pena!!! O som tá fodaço demais nas três posições de chave (braço, ponte e os dois captadores ligados) e eu ainda nem usei pedal algum! (p.s.: fora que a loja onde o Alex me levou pra comprar o material tem coisa boa e barata!)
Semana que vem, dar uma lixada e dar o up final (pintar de preto!).
Agora, manolagem...
Agora é hardcore na veia!


Lendo com afinco:  
À Procura de Kadath, do estadunidense Howard Philips Lovecraft. Tradução de Celso Pacionik para a Iluminuras. O cara não é Der Meister a toa!


Bis zu dem breaking fucking neuen Post!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!