segunda-feira, 1 de setembro de 2014

FEITO DE UMA SÓ PORRADA!

Ouvindo: Johnny Cash, My Mother's Hymn Book, de 2003


[¡sem título!]
AH!, quem me dera seus sorrisos...
Quem me dera seus olhos...
Quem me dera seus risos...
Quem me dera suas mãos às minhas...
Ah!, mas quem me dera seu silêncio...
Quem me dera sua voz...
Quem me dera seus cabelos soltos...
Quem me dera sua pele alva já em vermelho...
E quem me dera tu como viestes...
Ah!, enfim quem me dera tu vista de baixo...
Quem me dera tu banhada de suor...
Quem me dera suas palmas em meu peito...
Quem me dera suas mãos em minha barba...
Quem me dera tu acordando o mundo pela boca...
Mas ah!, quem me dera tua cabeça em meu ombro
Quem me dera eu encrustado em seu abraço...
Quem me dera tu do meu lado enquanto amanhece...
Quem me dera seu beijo como um átomo sendo partido...
Ah!, quem me dera, meus Pais e minhas Mães, de te ver dormindo...
De não quereres levantar da cama...
Ah, quem me dera te ver acordar...
Quem me dera tu escondendo o rosto, “não quero que me veja assim”...
Por fim, ah!, quem me dera tudo isso acontecer...
Quem me dera seres Mulher e não somente Musa Inspiradora...
Quem me dera estares alcançável carne e não somente Poesia...
Quem me dera minha cabeça em suas pernas...
Quem me dera tu como Beijo e como Toque...
Quem me dera...

:: para Carolina Silva, de Pelotas do Rio Grande do Sul ::
:: 01 de setembro de 2014 ::

2 comentários:

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!