terça-feira, 25 de novembro de 2014

poema para uma ruiva escrito em Fortaleza (mais um...)

Ouvindo: Black Sabbath, Master of Reality, 1971.

(espero que ela goste)


[¡sem título!]

EU lembro da primeira vez que te vi
Nua
Como ainda lembro da primeira vez que te vi
Vestida
Vestida vermelho e branco
E coturnos engraxados e livros nas mãos
Os óculos arredondados com cantos quadrados
Quanto tempo? Quanto tempo faz?
Um ano e um mês e alguns dias da última vez
Que ouvi sua voz
E vi seus olhos sorrindo
Da última vez.
Me apaixono aqui pelo menos uma centena de vezes por dia:
Princesas indo e vindo de seus castelos reinos para os de terceiros
E, como em Casa, me sinto mais um e ainda tão perdido
Sem palavras, sem ter o que dizer
De mãos atadas, sem saber o que fazer
Sem Poesia e Prosa para todas elas
Ah...
Deve ser porque a estadia no Paraíso acabou
Acabou...
E voltar para a Zona de Conforto não mais confortável
De certa maneira... Não me sinto,,,
Aliviado
E muitíssimo menos:
Resignado.
E então o que será? Um passo para a frente, dois para atrás e uma projeção!
Sim, eu volto, volto para os meus Todos, para o meu velho Tudo
Deveria eu me perguntar se voltaria a seus braços, beijos e sorrisos e boa-vontade
(Isto se já não forem de/para outrem?) 
Ainda lembro e sempre lembro que conversamos
É sempre importante e conveniente (e me impede de fazer muita bobagem)
Mas desde já
Desde já saudade deste sol e deste calor,
Vontade de nunca mais voltar:
Para sempre Canoa Quebrada!
Para sempre Praia do Futuro!
O céu azul sem fim e quase sem nuvens...
O mar infinito entre o azul do céu e o verde quase de seus olhos...
Imagine-se tu aqui com a sua não-satisfação com o calor...
Imagine-se tu frente a este mar
E seus cabelos (atualmente lisos ou ainda encaracolados?) esvoaçados pelo vento
Com os pés direto à areia e hipnotizada pelo mar aberto perpétuo
E então
Talvez mais uma apaixonada que nunca esquecerá esta visão...
Imagine-se nós neste cenário
Mesmo não juntos, mesmo somente frente...
Mas ainda assim, nem que estejamos juntos mais uma vez
... pela última vez


:: Área 1 do Centro de Humanidades Federal do Ceará ::
:: Auditório João Albano, durante a palestra Lusophone Studies in the United States: Estudar e ensinar Português em Universidades Norte-Americanas, organizado pela Profa. MSc. Diana Costa Fortier Silva e Fábio Saraiva ::
:: 25 de novembro de 2014 ::

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!