sexta-feira, 19 de junho de 2015

Ouvindo: Marisa Monte, Mais, 1991.


[¡sem título!]

E poesias completas
E textos incompletos
E lembranças e
E projetos que só ficarão no projeto embrionário
E noites não-dormidas
Lembrando e sonhando.
Tanto a fazer e a ler e a estudar
E, ainda assim,
Nesta condição
Nela tão absorto e abstraído
Que o faço muitíssimo bem por nós dois juntos.
Uma vez não dois
Uma vez dois
Ainda dois
Ainda dois?
Dois não como dois
Uma vez não dois
Um dia não mais dois.
Não mais livro
Livros separados na estante
Capítulos em livros
Lidos ou não
Com lágrimas e suspiros
Entretanto certamente
Com sorrisos e suspiros.
Bem que todos poderiam terminar tão bem
Quanto nós
Como nós
E então nós agora.
Uma vez
Ainda
Ainda?
Não
Não mais
Um dia não mais nós:
Que seja calmo e sereno como o amanhecer no campo antes da batalha.


:: para Sanmarie Rigaud dos Santos ::
:: 07 de junho de 2015 ::

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!