quinta-feira, 5 de maio de 2016

CIÊNCIA E ENGENHARIA DE POLÍMEROS - poema completo

CIÊNCIA E ENGENHARIA DE POLÍMEROS

UM DIA, vossa pele alva...
Um dia, vossa pele alva e vossas tatuagens
(ademais a de vosso Totem Raposa)...
Um dia, vossos olhos negros falantes...
Um dia, Vós de óculos alvos (com detalhes pretos), como vossa pele cobrindo vossos olhos negros falantes...
Um dia, Vós sem brincos...
Um dia, Vós de sutiã bege-quase-branco...
Um dia, Vós contemplativa e contemplada e bucólica
todavia não melancólica...
Um dia... Um dia...
Um dia, minha barba preta já com inúmeros fios brancos por vossos ombros...
Um dia, meu nariz de tez marfim por vosso pescoço...
Um dia, vossas mãos às minhas...
Um dia, vossos olhos cerrados (ou então não?)...
Um dia, conhecer vossa voz a sussurros inaudíveis...
Um dia, nariz e barba à vossa nuca e detrás de vossas orelhas enquanto o mar-esverdeado-azul que tendes como cabelos represado...
Um dia, um dia...
Será que esse “Um dia, um dia...” chega?
Se chegar, eu certamente mudo e contemplativo
Como não sê-lo ante vossa formosura e graça impactantes como um Fokker 100 colidindo contra um prédio
E a doçura de vossos olhos brilhando como a iluminação causada de um Zeppelin em chamas?
Será mesmo um dia Vós ao alcance de minhas mãos?
Será mesmo então: minhas mãos situando vossos cabelos atrás de vossas orelhas e então vos beijar?
vosso mar-esverdeado-azul represado e permissão concedida a mim para desbravar vosso colo e pescoço e nuca?
saber como é o timbre idiossincrático de vossa voz e sussurrar e “ah’s” e “oh’s” e “hum’s”?
[“ah’s” e “oh’s” e “hum’s” reginaldorossianos? TOMARA!]
e então possível permissão
a vossas costas e tórax e barriga e quadros ?
a pernas e ancas e braços?
ao todo completo cruzesouziano que sois Vós?
Pele...
e Carne...
e Cabelos...
e Tatuagens...
e Parte e Todo... e Poema Idealizado e Poesia Incarnada...
Um dia... Um dia
Um dia, um dia
eu o Mais-Feliz-e-Ditoso-e-Abençoado-dos-Homens por então e enfim e finalmente
vos ver e ter despida em braços e beijos e lábios nesta sublime e almejada condição?
vossas mãos às minhas à vossa direção, vossos dedos aos meus, vossa voz me chamando pelo nome a um sussurrar...?
Um dia... Um dia...
Um dia, um dia...


:: para Fernanda Faganello ::
:: 04 de junho de 2016 ::

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!