sábado, 27 de agosto de 2016

DO POEMA POMBA DO JORDÃO

DO POEMA POMBA DO JORDÃO

O céu – um sino.
A lua – língua.
Mãe – pátria minha.
Eu – bolchevique.

Onde tudo é amigo,
Tudo lindo, rindo,
Eu canto o fim do
Mundo antigo.

Alto e bom som
Retumbe na tua 
Tumba o sino azul
Como aquela lua.

Mundo de amar,
É boa a espera.
Ouço no ar
Nova era.

:: Sierguéi Iessênin ::
:: 1918 ::
:: Tradução de Augusto de Campos, 1985 ::

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!