domingo, 16 de outubro de 2016

“Se a obra é o ponto de partida da crítica ela é, também, o seu fim. A prática crítica procede em dois tempos: o comentário filológico e histórico, em primeiro lugar, e, depois, sobre usa base, uma reconstrução que permite nomear a falha da obra e, no mesmo movimento, a sua verdade.” 
- Jeanne-Marie Gagnebin

esse “comentário filológico” apontado pela Gagnebin é a análise hermenêutica da obra antes e durante sua leitura histórica?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!