quinta-feira, 3 de novembro de 2016

projeto inicial de poema

[¡poema por ora incompleto!]

É cheiro de UFPA depois que chove e então faz sol...
cheiro de grama não-cortada
cheiro de grama molhada
cheiro de grama molhada secando
cheiro de universidade federal com vista para um rio
cheiro de universidade federal a beira-rio
devia ser o cheiro das salas e dos discentes se não fossem ar-condicionados e ônibus e motos e carros.
Feche os olhos e sinta
feche os olhos e inspire
cheiro de UFPA depois que chove e então faz sol
é como se o sol brilhasse lá como não brilha no resto do planeta
melancolia particular.
Fechamos os olhos e abrimos
contemplamos o verde-grama-esverdear e o cinza-muro-de-arrimo-acinzentar
barro-cor-laranja-areia e  tons-de-cinza-seixo
se tornar transmutar longo-e-tortuoso-edificar
– pois enfim é assim que tudo se torna?
– pois então é assim que o tempo vem e tudo se transforma?

:: novembro de 2016 ::

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!