terça-feira, 28 de março de 2017

“Cada descoberta de um fato histórico conhecido, e toda nova interpretação de um já conhecido, ou se ‘encaixará’ na concepção geral predominante, enriquecendo-a e corroborando-a por esse meio, ou então acarretará uma sutil ou até uma fundamental mudança na concepção geral predominante, lançando assim novas luzes sobre o que era conhecido antes. Em ambos os casos, o ‘sistema que faz sentido’ opera como um organismo coerente, porém elástico, comparável a um animal vivo quando contraposto a seus membros individuais; e o que é verdade nas relações entre monumentos, documentos e um conceito histórico geral nas humanidades, é igualmente verdadeiro nas relações entre fenômenos, instrumentos e teoria nas ciências naturais.”
– Erwin Panofsky, “Introdução: A História da Arte como uma Disciplina Humanística”. IN: Significado nas Artes Visuais. Trad. Maria Clara F. Knesse e Jacó Ginsburg, com revisão de Mary Amazonas Leite de Barros. São Paulo: Perspectiva, 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!