terça-feira, 14 de março de 2017

FAREEDA - primeiro poema escrito no mestrado


FAREEDA

E então vejo Vossas fotos
E então ouço Vossa voz
E então me pergunto:
– Como será Vós despida, de bruços, sobre a cama, semi-coberta por um lençol, na quase escuridão?
– Como Vossos olhos brilham quando estás gozando?
– Como será Vosso rosto quando Vos falta ar em Vosso momento de gozo?
– Quais Vossos sons enquanto escalam com a boca e o nariz
estabelecendo um posto avançado em Vossa virilha e cintura tendo minhas orelhas aquecidas por Vossas coxas
e de lá
então subir por Vossa barriga, partindo de Vosso umbigo,
galando terreno a alcançar Vossos seios
os cartografando até o ponto do cume dos mamilos
e então voltar para percorrer Vossos ombros
para finalmente conhecer Vosso pescoço e orelhas?
Apresentados e levantados estes questionamentos
então minha boca à Vossa (muito possivelmente) seca
meus olhos aos Vossos... então fogo baixo ou luz de sirenes
e, finalmente minhas mãos às Vossas e dedos entrecruzados e as palmas de Vossos pés de meus joelhos até meu tórax e o trajeto inverso a Vosso desejar
e então
Comunhão
Unificação
Adesão
Conversão
Mediação
Harmonização
Momento transcendental de encontro entre devoto e Musa
entre inspirado e Inspiração Verdadeira
– uma nova caracterização da Epifania?
A execução do Sagrado pelo Sacro
e Poético-Literário.
A execução do Sagrado pelo conjunto do Sacro e do Humano
A execução do Sagrado pelo conjunto do Sacro e do Poético
A execução do Sagrado pelo conjunto do Sacro e do Literário
A execução do Sagrado pelo Uno composto pelo Sacro e pelo Humano e pelo Poético e pelo Literário.
A execução do Humano pelo conjunto do Humano e do Sacro
A execução do Humano pelo conjunto do Humano e do Poético
A execução do Humano pelo conjunto do Humano e do Literário
A execução do Humano pelo Uno composto pelo Sacro e pelo Humano e pelo Poético e pelo Literário.
A execução do Poético pelo conjunto do Poético e do Sacro
A execução do Poético pelo conjunto do Poético e do Humano
A execução do Poético pelo conjunto do Poético e do Literário
A execução do Poético pelo Uno composto pelo Poético e pelo Sacro e pelo Humano e pelo Literário.
A execução do Literário pelo conjunto do Literário e do Sacro
A execução do Literário pelo conjunto do Literário e do Humano
A execução do Literário pelo conjunto do Literário e do Poético
A execução do Literário pelo Uno composto pelo Literário e pelo Sacro e pelo Humano e pelo Poético.
E então Vós comigo, dormindo ou acordada, após Vosso gozo
e finalmente Vós a meu braços e guardar
e então o fim do dia enquanto o mundo termina em chuva!

:: para Andreia Lins [Recife-PE], Cristiane Perin [Santarém-PA], Laís Helena Meyer Caparroz [São Paulo-SP], Caroline Cardoso Silva [Pelotas-RS], Alexandra Monteiro Ferraz [Rio de Janeiro-RJ], Karime Treptow Hayat e Graziela Inês Jacoby [Santa Maria-RS] ::
:: 14 de março de 2017 ::
:: Centro de Ciências Sociais e Educação da Universidade do Estado do Pará, aula de Seminários de Pesquisa, do Prof. Dr. Douglas Rodrigues da Conceição ::
:: Fareeda (variação “Faridah”) é um nome feminino árabe que significa “Única”, “Incomparável”, “Pérola/Gema Preciosa”; a meu ver, como autor e tradutor, não seria ruim traduzir o título para “Pérola Incomparável” para este contexto poético em específico. ::

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você está em solo sagrado!
Agora entalhe com vossas garras na Árvore dos Registros e mostre a todos que virão que você esteve aqui!!!